Skip to content

Ditadura “evangélica”

22 de maio de 2011

Pode parecer loucura, mas infelizmente a verdade é que em nossos dias existe uma corrrente ideológica que não é nada nova, e que tem seu fundamento em seus idealizadores, onde o que um determina todos tem que obedecer inquestionávelmente, e o pior de tudo é que estão dizendo com todas as letras que se trata do verdadeiro “evangelho”.

A base do evangelho verdadeiro é a liberdade para uma vida reta de acordo com metas disponíves e possíveis de serem alcançadas,  não por nós sozinhos, mas ajudados por aquele que tudo pode, ou seja , o Autor e consumador da nossa fé, Jesus.

A ideia de um evangelho sem “esforço humano” assusta muita gente, e talvez por esta razão, o mesmo não seja bem vindo, já que a mente de quem pensa desta maneira não aceita uma fé com base unicamente em Cristo. Portanto nosso maior desafio consiste em ter a capacidade em delinear a fronteira de ambos extremos sem prejuízo para a essência do evangelho verdadeiro, que consiste mais para o que Cristo fez a nosso favor do que própriamente o que fazemos ou não para Deus.

Reconheço que não é tarefa fácil distinguir as intenções reais dos motivos pelos quais as pessoas defendem suas posições a respeito do tema, muitos até nem tem coragem de declararem abertamente suas posições em detrimento do pensamento contrário. Aproveito este espaço para expor com total liberdade o que penso a respeito, mesmo que muitos não concordem com muitos pormenores ideológicos.

Gostaria de apresentar alguns princípios desta “ditadura evangélica”;

A ditadura evangélica se caracteriza por um enorme apego as regras sem levar em conta os motivos que fazem as pessoas se afastarem  de ambientes religiosos. Os ” ditadores” evangelicos , além disso,  são ótimos em incutir na cabeça das pessoas um senso de culpa impossível de ser provado pelas escrituras, para tanto apelam para o “status” de super-intimidade com Deus, e o pior é que muitos adquirem um sucesso considerável neste aspecto.

Não são todos os caminhos (religião) que levam o homem a Deus. Seitas e heresias são falsas doutrinas, criadas pelos homens, visando desviar aqueles que receberam de Jesus a promessa de salvação e a herança de ter uma vida eterna. Jesus nos disse: “quem ouve a minha palavra e crer naquele que me enviou tem a vida eterna, não entra em juízo, mas passou da morte para a vida” (João 5:24)

Não existe outro Evangelho senão o pregado por Jesus Cristo e os seus Apóstolos. Todavia, nos relata as Escrituras Sagradas que nos últimos dias viriam escarnecedores, com seus escárnios, andando segundo as próprias paixões e dizendo: “onde está a promessa da sua vinda ? Porque desde que os pais dormiram, todas as cousas permanecem como desde o princípio da criação.

Porque, deliberadamente, esquecem que de longo tempo, houve céus como terra, a qual surgiu da água e através da água, pela palavra de Deus, pela qual veio a perecer o mundo daquele tempo, afogado em água. Ora, os céus que agora existem e a terra, pela mesma palavra, têm sido entesourados para fogo, estando reservado para o dia de juízo e destruição dos homens ímpios. Há, todavia, uma cousa, amados, que não deveis se esquecer: ‘que para o Senhor, um dia é como mil anos e mil anos como um dia’ (2 Pedro 3:4-8)”.

Cito estes versículos para iniciarmos uma ponderação acerca do tempo vivido nas Igrejas Evangélicas, as quais têm por obrigação pregar o verdadeiro Evangelho.

Tenho observado que alguns Pastores, retos, dentro da palavra de Deus, vem se utilizando dos meios de comunicação para falarem da forma como alguns líderes, que se dizem pastores e parte do rebanho de Cristo Jesus, estão conduzindo as suas Igrejas, dentro de uma verdadeira idolatria. Pois sabemos que todo aquele que coloca o dinheiro como prioridade, fazendo da casa de Deus um meio para desfrutar de luxo, está adulterando o verdadeiro Evangelho (2 João 1:9)

A bíblia nos dá, como primeiro mandamento, amar a Deus sobre todas as cousas e ao nosso próximo como a nós mesmos. Jesus nos ensinou a forma de caminhar com Deus e em Mateus 6:24, Ele nos disse para não amar a dois senhores, nem servir, porque não poderíamos servir a Deus e as riquezas.

Não obstante esta regra clara, ainda nos disse o Senhor para buscarmos em primeiro lugar o Reino de Deus e a sua Justiça e as demais cousas nos seriam acrescentadas.

Esta recomendação de Jesus é uma norma básica para aquele que deseja seguir uma vida com Cristo, tendo o seu caráter, observando o fiel cumprimento de sua palavra, pois esta é a voz de Deus para nós, os homens ( 2 Timóteo 3:16-17).

Ora, se nos é recomendado “não acumular para nós outros tesouros sobre a terra, onde a traça e a ferrugem corroem e onde os ladrões escavam e roubam; mas que ajuntemos para nós outros tesouros do céu, onde a traça nem a ferrugem corroi, onde os ladrões não escavam nem roubam, porque dizia Jesus: onde estiver o teu tesouro, aí estará também o teu coração” (Mateus 6:19-21).

Qual é o nosso tesouro senão guardar no nosso coração a palavra de Deus ? Davi reportava-se a esta palavra como sendo lâmpada para os seus pés e luz para os seus caminhos (Salmos 119:105).

Hoje, as Igrejas Evangélicas pregam um evangelho pragmático, onde o nosso Deus e Pai é invocado, intimado a dar as riquezas cobiçadas pelos homens. Há verdadeiros alaridos, para não se dizer gritos histéricos nas orações, onde Deus é colocado contra a parede para dar toda sorte de benção, por ser Eleo dono do ouro e da prata. Esquecem-se os lideres e ovelhas que Deus dá a quem quer e a hora que quer, porque é um Deus soberano.

A palavra de Deus é para ser lida, compreendida no seu contexto, nos sendo revelado pelo Espírito Santo o seu verdadeiro significado, como ela nos será útil e aplicada à nossa vida, para o crescimento do Reino de Deus.

O papel do Pastor é ler as Escrituras Sagradas, revelá-las sem acrescer um só til para a Igreja e ali formar discípulos dignos de levar esta palavra às gerações futuras.

O Reino de Deus não é comida nem bebida mas paz e alegria no Espírito Santo. O fruto, ou seja, a pregação do verdadeiro Evangelho nos trás paz, amor, vontade de amar a todos, sem acepção de pessoas, assim como fez Jesus ao pregar a mulher Samaritana. O Pastor deve ter mansidão, ser amoroso, capaz de amar e transformar o pranto de um aflito em alegria.

As Igrejas são locais onde as pessoas buscam aprender a palavra de Deus, em comunhão de uns para com os outros. Amar a Deus é respeitá-lo como Deus, um ser soberano, Pai de todos, que é por todos. Logo, as Igrejas não foram criadas para disputar o poder entre os pastores, como se neles houvesse alguma glória para se exaltar. A gloria de Deus não é dada a ninguém (Isaias 42:8).

A prática de doações, dízimos e ofertas, objeto dos cultos nas Igrejas Evangélicas, neste século XXI, são totalmente desvirtuadas da sua finalidade bíblica. Os dízimos são destinados ao serviço da Congregação, à manutenção dos levitas, ou seja, daqueles que trabalham no templo (Números 7:4-5).

Paulo nos deixou o exemplo de ser servo obediente ao mandamento de Deus, pois abandonou o seu trabalho secular, onde recebia alto salário, e foi se dedicar à pregação do Evangelho, abrindo Igrejas em vários lugares.

Naquele tempo, ele fazia tendas para o próprio sustendo, pois não queria ser pesado a ninguém, ficando as ofertas e os dízimos para a manutenção dos servos, escolhidos por Deus, para dirigir as Igrejas. Portanto, os dízimos não se destinavam à aquisição de bens luxuosos para os Pastores e líderes mas para estes administrassem com equidade a Casa do Senhor, suprindo as necessidades daqueles que estavama serviço, suprindo ainda, a carência de órfãos e viúvas.

No capítulo 3 do Livro do Profeta Malaquias, versos 1 e 2, inicia a palavra do Senhor dizendo que “envio o meu mensageiro, que preparará o caminho diante de mim; de repente virá o Senhor, a quem vós buscais, o Anjo da Aliança, a quem vós desejais; eis que ele vem, diz o Senhor dos Exércitos. Mas quem suportará o dia de sua vinda ? E, neste capítulo, diz claramente o Senhor, que nós, o seu povo, seremos testemunhas contra as feitiçarias (falsas doutrinas), as mentiras, os desvios de dinheiro, a opressão as viúvas, praticadas por aqueles que não o temem.

Isto é muito sério e deverá ser revisto, urgentemente, pelos Pastores, a cobrança desenfreada de dinheiro dentro das Igrejas. Porque a cobrança não está adstrita apenas ao dízimo mas a outras obrigações que são impostas às ovelhas, tipo fazer doações de cestas básicas a serem doadas, manter missionários fora do Estado,enquanto o dízimo é usufruído pelos pastores e familiares, desviado da finalidade contida no mandamento de Deus.

O Evangelho nos foi trazido por Jesus de graça, tendo ele demonstrado isso, por inúmeras vezes, enquanto pregava. Ele próprio expulsou os mercadores do Templo, deu pão e peixe à multidão após ouvir a sua pregação. Os seus Apóstolos vendiam os seus bens para a sua própria manutenção e não cobrava das multidões o ingresso ou a inscrição para assistir as pregações.

Vergonhoso é vermos que certas Igrejas, as mais ricas, utilizam-se da cobrança de dinheiro para pregar aos cristãos um Evangelho, que tem por pilar a fórmula para se adquirir a prosperidade. Nós não vemos um mutirão de líderes dentro dos hospitais, visitando os enfermos, oferecendo-lhes um remédio ou uma roupa para vestir.

Tão pouco presenciamos a união das Igrejas para tirar das ruas as crianças abandonadas por seus pais, entregues à fome, ao frio, às drogas e a criminalidade.

O que está sendo ensinado nas Igrejas Evangélicas ? Seria este o Evangelho que Jesus nos deixou para ser pregado? Estes pastores e lideres certamente darão contas a Deus pelo desvio de propósito, assim como por serem “escândalo”, a causa de haver tantos cristãos frios na fé, que já não suportam o livre comércio praticado por aqueles que vituperam o Evangelho, atingindo os menos adestrados na palavra de Deus. Muitosjá se afastaram das Igrejas por não concordar com as falsas doutrinas, as injustiças do mundo sendo aceitas e praticadas pelos pastores. Outros irmãos, saíram humilhados,por não dispor da quantidade de dinheiro que lhes era exigido na Igreja (2 Pedro 2:1-9).

Passando pelas Escrituras Sagradas, lemos que Deus não habita em templos feitos por mãos de homens. O que significa dizer que a multiplicação de Igrejas não é principal objetivo divino mas do homem, que investe na produção de Igrejas visando um retorno financeiro. A verdadeira vontade de Deus é que as Igrejas ensinassem o verdadeiro Evangelho, que consiste na plena expressão do amor, de uns para com os outros. Ajudar ao próximo é emprestar a Deus, diz um ditado popular. Todavia, uma forma de adorar e amar a Deus é socorrer os pequeninos nas horas de aflições (Hebreus 13:1-3), (Isaías 58:1-7).

Mas, graças a Deus, que nos enviou o seu Espírito Santo para fazer morada em nós. Sem a sua presença, não suportaríamos as aflições deste tempo, onde o próprio Jesus nos deixou dito que seríamos vendidos dentro dos templos, perseguidos e mortos. E a pior morte é a espiritual, onde o homem perde o seu ânimo, aceita o ônus de satanás, perdendo a esperança para perquirir o verdadeiro caminho.

O cristão deve olhar firmemente para o Autor e Consumador da nossa fé, Jesus, o qual, em troca da alegria que lhe estava proposta, suportou a cruz, não fazendo caso da ignomínia, e está assentado à destra do trono de Deus. Consideremos, pois, aquele que suportou tamanha oposição dos pecadores contra si mesmo, para que não nos fatiguemos, desmaiando as nossas almas.

Timóteo foi um discípulo de Paulo e este sempre lhe escrevia falando acerca do valor e utilidade das Santas Escrituras. E, na 2ª Epístola de Paulo à Timóteo, capítulo 4, versículos 1 ao 5, Paulo lhe recomendava:

“Conjuro-te, perante Deus e Cristo Jesus, que há de julgar vivos e mortos, pela sua manifestação e pelo seu Reino: prega a palavra, insta, que seja oportuno, quer não, corrige, repreende, exorta com toda a longaminidade e doutrina, pois haverá tempo em que não suportarão a sã doutrina; pelo contrário, cercar-se-ão de mestres, segundo as suas próprias cobiças, como que sentindo coceira nos ouvidos; e se recusarão a dar ouvidos à verdade, entregando-se às fábulas. Tu, porém, sê sóbrio em todas as cousas, suporta as aflições, faze o trabalho de um evangelista, cumpre cabalmente o seu ministério”.

Você não pode desistir das promessas de Deus. Abstenha-se de pactuar com escarnecedores, homens ímpios, movidos de ganância (Salmos 1:1-6), que se precipitam no erro de Balaão.

A Bíblia nos afirma que estes homens são como rochas submersas, que nas festas de fraternidade, banqueteam-se juntos sem qualquer recato; são pastores que se apascentam; nuvens sem águas impelidas pelos ventos, árvores em plena estação dos frutos, destes desprovidos, duplamente mortas, desraigadas; ondas bravias do mar, que espumam as suas próprias sujidades; estrelas errantes, para as quais tem sido guardada a negridão das trevas para sempre (Judas 12-13).

Jesus é o nosso Pastor (João 10), logo, se conhecereso seu Evangelho, saberás distinguir a sua voz para segui-lo (a verdade), fugindo de vozes estranhas (falsos mestres), porque as suas ovelhas conhecem a sua voz (o Evangelho).

Talvez haja momentos em sua vida que pense estar sozinho, sem pastor, amigos ou familiares. Lembre-se, sempre, que Jesus é o nosso Pastor, o nosso amigo, que está em você, se a sua vida estiver nele. É Ele que intercede por nós junto ao Pai, que ganha as nossas guerras, nos garantindo a vitória.

É bem verdade que nos sentimos sozinhos, sem apóio humano, muitas vezes. A razão desta escassez se dá em parte, por causa dos irmãos que já estão contaminados pelas falsas doutrinas, pregadas nas Igrejas Evangélicas. Todavia, a tristeza não é somente sua e minha, mas de Deus Pai, que vê todas essas cousas, que perscruta os corações dos homens e observa que o homem ama mais as trevas que a luz, que prefere as riquezas, porque assim têm preterido nos cultos a ELE no século XXI.

Paz seja com todos !

Anúncios

From → evangélica

Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: